Rio Oiapoque, A Fronteira Franco-Amapaense

O Rio Oiapoque nasce nas cabeceiras da Serra do Parque do Tumucumaque e se estende por aproximadamente 350 Km até desaguar no oceano Atlântico. A palavra Oiapoque tem origem do Tupi Guarani, sendo derivação do termo “Oiap-oca” que significa “casa dos Wajãpi”. Durante o período colonial entre os séculos XVI à XVIII foi chamado de Rio Vicente Pinzón em homenagem ao navegador Español Vicente Yáñez Pinzón que teria descoberto sua foz.
Ponte Binacional, fronteira do Brasil com a Guiana Francesa
O modelo geopolítico atual se consolidou em 1ª de Dezembro de 1900, quando o Laudo Suíço confirmou o Tratado de Utrech (1713) e definiu o Rio Oiapoque como limite entre o Brasil e França, hoje corresponde a principal via de circulação entre os meio urbanos da cidade de Oiapoque no Estado do Amapá-BR e Sant Jorge de Oiapock na Guiana Francesa-FR. Por esse eixo hidroviário se estabelece relações sociais e econômicas que circulam em diferentes tipos de embarcações, modelos como as Catraias, Rabetas, Lanchas e Canoas de pequeno, médio e grande porte que transportam na maioria trabalhadores, estudantes, turistas e pequenas mercadorias de gêneros alimentício, peças de confecções, além de barcos pesqueiros e balsas carregadas de minérios, combustíveis, animais, veículos e outros.
mercadorias sendo transportadas no Rio Oiaqpoque
Esses transportadores fluviais também formaram algumas cooperativas como a Cooperativa de Transportes Fluviais e Terrestres de Oiapoque-COFCOI,Cooperativa de Transporte e Turismo de Oiapoque-COOPTOUR e outras. Nos últimos anos essas Cooperativistas vivem na incerteza de sua produção sócio-econômica na fronteira Franco-Brasileira diante da iminência da inauguração da Ponte Binacional.
Corredeiras do Rio Oiapoque
Distrito de Vila Brasil em Oiapoque
Assim a rodovia federal BR 156 torna-se mecanismo estratégico para uma nova alternativa econômica, como por exemplo empreender no transporte terrestre de mercadorias e pessoas. A rodovia federal BR 156 liga Oiapoque a Macapá por um trecho de aproximadamente 590 Km. Importante mencionar que a rodovia BR 156 tem o título (negativo) de ser a obra rodoviária mais antiga que “ainda” está em construção.
 

Um comentário em “Rio Oiapoque, A Fronteira Franco-Amapaense”

  1. Olá, isso é um comentário.
    Para começar a moderar, editar e excluir comentários, visite a tela de Comentários no painel.
    Avatares de comentaristas vêm a partir do Gravatar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Post